Nutrição & Ballet

Olá, pessoal!

Hoje vamos ao primeiro post da nossa super nutri Fabiana Cusin, que vem cheia de informações importantes relacionadas à Nutrição & Ballet, vamos lá?


Você vê aquela bailarina dançando lindamente na ponta dos pés, leve como uma pluma e um sorriso no rosto. Parece tudo tão fácil, tão leve… não se deixe enganar pelas aparências! Ballet é leve só para quem assiste. Quem está no mundo da dança sabe que não é bem assim. Não é nada assim. Ballet é para os fortes. E é tudo de bom!

Gosto de contar um episódio que aconteceu na minha adolescência. Eu queria perder peso (como toda bailarina) e pedi para a minha mãe me levar a um endocrinologista (naquela época, a profissão de nutricionista era pouco difundida ainda, poucas nutricionistas faziam plano alimentar – ainda bem que isso mudou!). Pedi não, quase a deixei louca, pois eu obviamente estava longe de ser gorda, uma longa história (falaremos de distúrbios alimentares em outro post). O endocrinologista, no decorrer daquela anamnese padrão, sem mal me olhar na cara, me perguntou sobre atividades físicas. Fiquei empertigada e, com um certo orgulho na voz, disse que fazia Ballet cinco vezes por semana, entre três e quatro horas por dia. Nesse momento, ele levantou os olhos do papel, olhou para mim e perguntou com um certo desdém “mas só ballet? Ballet nem é atividade física, por isso que você não emagrece”… Oi? Juro que quase o convidei para fazer uma aula experimental e calar a  boca pra sempre! Naquele momento, percebi que o canalha doutor não tinha a menor ideia do que estava falando e só me deu vontade de sair correndo de lá, tamanha a ignorância de um profissional de saúde supostamente conhecedor do metabolismo humano e apto a prescrever dietas. Claro que me deu uma dieta pronta tirada da gaveta e a recomendação para fazer exercícios “de verdade”, como natação e corrida. Joguei o papel (e o dinheiro da minha mãe, coitada) fora e nunca mais voltei.

Desde então, mais de 20 anos depois, felizmente muita coisa mudou. Hoje, quem realmente busca um plano alimentar sério, consulta um nutricionista e cada vez mais os profissionais de saúde em geral estão mais bem informados e os tratamentos, mais sérios.

Por ser meu primeiro post no blog (obrigada, Laura e Amanda, fiquei muito feliz pelo convite), hoje vamos dar apenas uma geral sobre Nutrição & Ballet. Vamos desenvolver assuntos mais específicos em outros posts e sugestões de temas são sempre bem vindas!

O ballet é uma atividade física intensa que requer muita resistência física e força muscular. Uma dieta adequada é fundamental para uma boa performance, assim como em qualquer atividade física. Comer bife, salada e iogurte zero não ajuda em nada, só atrapalha, pois você vai sentir fraqueza, a aula não vai render e tudo o que você vai sentir é frustração. Uma dieta fracionada, com cerca de cinco pequenas refeições diárias, é muito importante e mantém os níveis glicêmicos estáveis. Ficar muitas horas sem se alimentar pode resultar em perda de massa magra e, ao contrário do que se imagina, aumentar a porcentagem de gordura corporal.

A proporção dos macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) também faz toda a diferença. Cortar carboidrato, laticínios, glúten, a menos que você tenha verdadeiramente alguma alergia ou intolerância, é a maior bobagem. Como tudo na vida, e na Nutrição mais ainda, o grande segredo chama-se EQUILÍBRIO. Tem que comer um pouquinho de tudo, até chocolate SIM (ou qualquer outra coisa que você adore) em pequenas porções, pois uma privação dessas afeta nosso psicológico, deixa a gente irritada, e acaba atrapalhando a nossa vida familiar, profissional e nossas amadas aulas de ballet.

Não vá à aula com o estômago vazio. Um lanchinho de cerca de 100 calorias uns 30 minutos antes da aula vai te dar um gás. Não se esqueça que tanto um pedacinho de chocolate (não indicado para imediatamente antes da aula) como “um maço” de alface têm cerca de 100 calorias. Em um próximo post, vou preparar uma lista de lanchinhos saudáveis para antes e depois das aulas.

Por fim, não esqueça de se hidratar antes, durante e depois da aula. Água é o principal componente do corpo humano e ela é fundamental para a saúde e um bom desempenho na aula.

Até a próxima!

Beijos, Fabi.

Fabiana Cusin, Nutricionista
Formada em 2000 pela Faculdade de Saúde Pública da USP (FSP - USP), CRN-3  25.467.

Deixe uma resposta