ballet class

Memorizar sequências da barra: COMO?

Sobre as aulas de Ballet: como memorizar as sequências na barra? Há alguma forma de “decorar”?

Olá pessoal!

Venho estudando para escrever esse post já faz um tempo. Desde que comecei a fazer aulas, percebi que as sequências eram enormes e me desesperei para tentar decorar, daí chegava na aula seguinte e se a professora mudasse um pedacinho da sequência eu já me embananava toda. Então penei, mas entendi que a aula de Ballet tem uma sequência lógica e posições que, com o tempo, vão se tornando naturais… o braço vai seguindo a perna, você vai seguindo a música, a respiração tem hora certa, fica fácil olhar para a mão e tudo vai se tornando habitual para o corpo.

Comecei a estudar sobre os métodos de Ballet e procurei aulas desses métodos. Percebi que a sequência da aula é mais ou menos pré-definida da mesma forma, independente do método, do professor ou do nível. Esses detalhes, na verdade, são como gêneros definidos dentro das espécies. Fui muito longe? Voltei para a aula de ciências da 4ª série do ensino fundamental? (que agora já tem até outro nome – ok, fui MUITO longe).

Vou tentar ser mais clara, juro!

Fui vendo desde o começo que o problema não está em simplesmente “não decorar” a sequencia passada pelos professores, mas os alunos simplesmente não a entendem. Executar apenas colando realmente não funciona!

É que nem época de escola, lembram? Certeza que seus pais e professores já te disseram isso alguma vez quando você era criança, não adianta decorar a matéria, tem que entender. E mais, se você ENTENDE o que está fazendo fica muito mais fácil de absorver o que os professores estão passando.

Então meu foco hoje é esse, depois avaliem se consegui chegar na minha meta que é fazer vocês entenderem a lógica da ordem pré-definida das aulas para que a aula flua, para que você entenda e já saiba que após pliés virão os tendus e assim por diante.

Os movimentos (ou exercícios) de uma aula de Ballet são realizados, em regra, na mesma ordem, em qualquer nível técnico em que você se encontre. O que mudará, na verdade, é o nível de dificuldade e as sequências de cada um deles. Essa ordem de “passos” é pré-estabelecida, sendo a mesma em qualquer lugar do mundo.

O PRINCIPAL, na minha opinião, é: Entender a lógica do ballet e a ordem das aulas. Precisamos ter essa visão cravejada na nossa cabeça, sabe? Observe uma aula de ballet, sem fazer, fique prestando atenção e você vai perceber que a aula tem a mesma ordem de passos, e seu professor muda alguns detalhes de execução, mas sem perder a ordem. Sempre faremos um aquecimento, seguido de pliés, depois tendus, jetés, rond de jambe, fondus, frappés, adagios, en l’air, grand battements e alongamentos, então faremos centro com mais alguns adagios, seguidos de piruetas, e  um pouco de diagonal e allegros, incluindo os saltos, por último uma reverence e fim! 

Esses movimentos serão feitos em ordem en croix (lê-se “an croá”) que significa em cruz, sempre frente, lado, atrás e volta.

Obs.¹: Estudar os passos em casa é de extrema importância. Aprender os nomes passos do ballet é imprescindível para entender o que estamos falando e consequentemente entender as aulas e tudo mais.

Obs.2: A grande maioria de nós, praticantes de ballet adulto, faz apenas aulas livres, então fica um pouco difícil entender isso. Mas se você for algum dia assistir aula de ballet de quem faz formação, seja de qual for o método, vai ver que as todas as aulas são praticamente iguais (é mais claro de perceber), principalmente quando estão se preparando para exames.

No ballet precisamos de força, alongamento, condicionamento, além da interpretação e da técnica (e musicalidade!), então as aulas são voltadas para o desenvolvimento das necessidades específicas, o que faz sentido… concordam?.

O trabalho corporal consciente inicia com o aquecimento (ou movimentação das articulações com a finalidade de levar sangue aos músculos para prepará-los). Depois vem o alongamento. Estamos falando de alongamento suave, com a finalidade de dar elasticidade aos músculos. Então chegou a hora do trabalho técnico, de força e ensaios. Ao final de tudo, podemos fazer o alongamento mais puxado, com a finalidade de aumentar sua amplitude dos movimentos e por fim, o relaxamento.

Tendo isso em mente, percebemos a sequência da aula. Vamos falar agora especificamente sobre essa ordem!

Segue um resumo da ordem, em regra, da barra de ballet:

1. Aquecimento – É aqui que começamos. Geralmente de frente para a barra, faremos movimentos de alternância de pés, rotação de cabeça, port de brás, cambrés, etc;

2. Plié – Este é um dos movimentos mais importantes e necessários para a técnica do ballet. Acho que é a primeira palavra que decoramos! A sequência de pliés é o primeiro “exercício” executado na barra, consiste numa pequena ou profunda flexão dos joelhos (demi ou grand plié), que é executada em todas as posições fundamentais. O plié é inserido desde o baby class e será feito por “toda a vida” do ballet. Alguns maitres dizem que conhece-se uma bailarina ao ver o seu plié. Os pliés fortalecem e aquecem, vem acompanhados de elevês/relevês também;

plié

3. Tendu – (Battement tendu). Movimento que já começa a trabalhar o alongamento, sempre com fortalecimento e também a transferência de peso e EIXO dos quadris!

tendu

4. Jeté –  Eles vem como uma continuação dos tendus, mas com uma pequena “saída” do chão, é como se aumentasse a dificultade. É “atirado” (petit battement jeté). O Jeté define o movimento de atirar a perna com energia, sempre esticada. É como o tandu, porém mais enérgico e os pés saem do chão.

jeté

 

5. Rond de jambe à terre– roda da perna no chão. A perna desenha no chão um semi-círculo, ou a letra D. Pode ser executado de frente para trás (en dehors, ou para fora) e também de trás para frente (en dedans ou para dentro).

rond-de-jambe-a-terre

 

6. Fondu – Aqui e no rond de jambe as coisas vão começando a se juntar, os movimentos de pliés, tendus começam a aparecer em sequencia. No fondu é feita uma flexão na perna de base, a outra recolhe ao mesmo tempo. Elas separam-se e esticam, dando uma qualidade elástica ao passo. Pode ser feito em todas as direções, na 3a ou na 5a posição fundamental, as vezes com meia ponta ou en l’air também, dependendo do nível.

battement-fondu

 

7. Frappé – Para mim começa o desespero aqui! Geralmente são executados com musicas mais rapidinhas. O pé inicia-se em posição sur le cou de pied e estica com um “golpe” passando os dedos e o metatarso no chão (como se “varresse”o chão com os pés). É feito em todas as direções.

frappe

 

8. Adagio – No ballet a palavra adagio é atribuída aos passos nos quais usamos de sustentação das pernas no ar. São movimentos lentos, as vezes MUITO LENTOS e suaves, daí o nome Adagio. Nesses movimentos não basta subir ao máximo a perna, não é apenas a flexibilidade mas sim e, principalmente, a força para sustentação. Essa imagem é um sonho, pra servir de estímulo.

adagio

9. Rond de jambe En l’air – É aquele que fizemos à terre, só que com a perna “no ar”. Geralmente é realizado após o adagio ou junto, também pode vir antes da sequência de grand battement ou muitas vezes junto com o grand battement. São movimentos vigorosos. A perna sai para um degagé à la second e descreve um círculo no qual a coxa não se mexe (aparentemente) e somente vemos o desenho circular acontecer do joelho para baixo. É realizado en dehors ou en dedans. Na teoria, é uma coisa linda, mas na prática é super dificil! A questão do eixo do quadril e da sustentação tem que estar muito bem trabalhada.

rond en lair

 

10. Grand Battement – São as grandes batidas, devem ser realizados com as pernas e o tronco completamente esticados, afastastando a perna de trabalho da perna de base com um movimento vigoroso, para frente e para o alto.

grand battement

 

11. Alongamento – Neste momento da barra alongamos com o auxílio da barra em todas as direções.

E aí, gostaram? Conseguiram entender mais ou menos?

Tem mais uma coisa legal, nessa semana, quando eu estava quase finalizando esse post, comecei a conversar com a Thiana Calmon, do blog EuBailarina e ela me inseriu num grupo no facebook para falarmos de Ballet Adulto, trocarmos experiências etc., uma iniciativa bem bacana e, coincidentemente ela está tratando do mesmo assunto nessa semana! Ela resumiu mais umas dicas para ajudar a decorar, para ler clique AQUI.

Espero ter ajudado vocês! Lembrem-se: Para decorar melhor, para pegar melhor as sequencias passadas pelos professores, busque entender! E boa aula!

Deixem dicas e sugestões aqui pra gente!

Curtam e compartilhem, bjs!

Laura

2 thoughts on “Memorizar sequências da barra: COMO?

  1. Laura,
    Seu blog está incrível! Primeira vez que entrei aqui e já adorei. Vou indicar para as minhas alunas. Dou aulas de balé adulto e com frequência deparo-me com as suas questões!
    Poderia colocar como observação que em algumas escolas o frappé sai da dorsiflexão dos pés; e algumas do sur le cou de pied. :)
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.